27/02/2015

Miss Minas Gerais Plus Size – Conheça as Candidatas!

Seguindo com a programação das nossas entrevistas, hoje o Trem Chique apresenta as seguintes candidatas à Miss Minas Gerais Plus Size: Grazielle Keith, Maria Cristina, Tamara Bhering e Vanessa Araújo.

Grazielle Keith – 27 anos | Ribeirão das Neves
TC: Qual sua idade e em que cidade mora?
Grazielle Keith: Sou Grazielle Keith Laet de Souza, candidata a miss Minas Gerais 2015, tenho 27 anos, nasci e moro em Ribeirão das Neves.

TC: O que a fez querer se tornar uma Miss?
Grazielle Keith: A oportunidade de participar e representar a beleza mineira Plus size, realização pessoal como mulher em quebrar paradigmas e padrões de moda.

TC: Como você define o seu estilo na hora de se produzir?
Grazielle Keith: No dia a dia sou muito casual, adoro tênis e jeans, mas para sair à noite gosto de vestido estilo romântica.

TC: Quais seus objetivos pós-concurso?
Grazielle Keith: Pretendo me profissionalizar e investir na carreira de modelo Plus size.

TC: Qual a parte do corpo que você mais valoriza?
Grazielle Keith: Adoro minhas pernas, sempre que possível uso look em que posso deixá-las a mostra, afinal moro em um país tropical.

TC: Para você, qual a importância em participar de um concurso como este?
Grazielle Keith: Fico muito feliz em poder participar, pois nos proporciona a oportunidade de apresentar a beleza de uma forma diversa, saindo desses modelos engessados que nos apresentam. Mostrando aos mineiros uma moda diferente e linda. 

TC: Você tem alguma modelo que se espelha? Quem e por quê?
Grazielle Keith: Sim, Fluvia Lacerda, admiro sua carreira e trajetória a forma com que ela se assume ela é linda com suas curvas e medidas maiores.

TC: Sua família te apoia a ser uma Miss?
Grazielle Keith: Sim, minha mãe principalmente foi ela quem me incentivou a fazer a inscrição, quando eu comuniquei sobre o concurso disse logo: Sempre que via esses desfiles achava que seria sua cara sempre te vi nas modelos. Coisas de mãe.

TC: Qual impacto acredita ter um concurso como este no nosso estado?
Grazielle Keith: Acredito ter um grande impacto, para a moda mineira, espero que possamos inspira-los com nossas belezas e curvas a contribuir para o seguimento da moda plus.

TC: Acha fácil encontrar roupas para manequins maiores?
Grazielle Keith: A moda Plus size em lojas físicas ainda não cresceu de forma que atenda a todos, pois não encontro roupa do meu manequim em determinadas lojas no shopping as quais gostaria de fazer compras. No entanto as lojas virtuais vêm crescendo e atendendo minhas expectativas de moda.

TC: Qual o seu manequim? Já sofreu algum preconceito por se Plus Size?
Grazielle Keith: Uso o manequim tamanho 48. Sim, eu Sempre estive acima do peso, na infância sofria com Billings na escola, na vida adulta vive alguns episódios infelizes por não ter as medidas “padrão” esperadas por empregadores, e para alguns lojistas e vendedores do mercado. Hoje, entendo que essas pessoas não tiveram uma supermãe como eu e uma avó Sebastiana, onde eu cresci com valores em que o diferente não interfere na sua essência como ser, a aparência é apenas um envolto que não dura para sempre e no fim apenas nossas vivencias e o que somos é o que importa. Xô preconceito.

TC: O que acha de se tornar referência para outras meninas e mulheres através do concurso?
Grazielle Keith: Uma oportunidade única influenciar de uma forma positiva as pessoas, ser referência de moda, auto estima e transmitir com respeito a aceitação de como somos e estar de bem com a vida é fascinante. 

TC: Defina beleza.
Grazielle Keith: A beleza é uma virtude ao que definimos os seres que nos faz ter admiração através dos sentidos.  “abv. Das obras de Bach”.

TC: Que mensagem deixaria para as pessoas que sofrem com o preconceito?
Grazielle Keith: Se ame, se curta, não se limite a padrões e opiniões alheias, construa sua própria história viva e sinta suas expectativas e sonhos sem medo de ser feliz, pois triste é aquele que se incomoda com a existência diversa do outro ser. 

TC: Diga por que, em sua opinião, você merece ganhar o concurso?
Grazielle Keith: Acredito ter os requisitos necessários para ser miss Plus size e pretendo representar Minas gerais, as meninas e mulheres que assim como eu ouviram não ser possível por ser Plus, participar de  um concurso de beleza , que significa auto estima , paciência, força, persistência e superação onde a sensibilidade contempla a verdadeira beleza.


Maria Cristina - 35 anos | Belo Horizonte
TC: Qual sua idade e em que cidade mora?
Maria Cristina: Tenho 35 anos. Moro em Belo Horizonte.

TC: O que a fez querer se tornar uma Miss?
Maria Cristina: Sempre sonhei desde criança em ser miss e isso se manteve vivo em meu coração. Acho incrível poder usar belos vestidos e desfilar representando a minha cidade e a nossa cultura. Poder conhecer pessoas, lugares e lutar por causas sociais, isso é muito especial!

TC: Como você define o seu estilo na hora de se produzir?
Maria Cristina: O nosso visual revela um pouco da nossa personalidade. Sou muito alegre, extrovertida, gosto de usar roupas modernas, clássicas e que tenham um bom caimento. Adoro cores vivas, amo estampas de animais e brilhos. Gosto muito de acessórios, costumo usar brincos grandes e anéis. Acho que a maquiagem muda a cara da roupa. Batom e lápis de olho são os meus preferidos! 

TC: Quais seus objetivos pós-concurso?
Maria Cristina: Meus objetivos após o concurso são: o de representar as mulheres plus size do Brasil e o de divulgar o meu trabalho como miss plus size e modelo, para consolidar uma carreira nesse ramo. Tenho vontade, também, de dar continuidade as causas sociais das quais acredito, como a das pessoas desaparecidas, pois já vivi esse drama com meu irmão que ficou desaparecido por quase 24 horas. Foi muito angustiante. Por favor, ajudem, clicando no site abaixo, pois se trata do Projeto de lei de iniciativa popular pelos Desaparecidos www.abaixoassinadobrasil.com.br/site/assine . Não se esqueçam de assinar!!! Se todos nos unirmos por essa causa, podemos fazer diferença na vida dessas pessoas e suas famílias. #missplussizenacausadosdesaparecidos #PrafrenteCris #suadoréaminhador

TC: Qual a parte do corpo que você mais valoriza?
Maria Cristina: A parte do corpo que eu mais valorizo são os olhos, pois eles são a janela da alma. Um olhar expressa vários sentimentos e emoções. 

TC: Para você, qual a importância em participar de um concurso como este?
Maria Cristina: A importância de se participar de um concurso como este é porque ele é super democrático! Todas as mulheres que tem o manequim a partir 44, são consideradas plus size. Elas podem se inscrever independente do seu estado civil, podem ter filhos, serem altas ou baixas, gordinhas ou com curvas avantajadas, diferente do outro concurso de miss. É de grande relevância o concurso de Miss plus size MG, pois gera oportunidade para pessoas de perfis diferentes participarem! Quebra-se paradigmas de um modelo de corpo ideal de manequim 36/38 estabelecido pela mídia e pela moda.

TC: Você tem alguma modelo que se espelha? Quem e por quê?
Maria Cristina: Embora tenham muitas modelos bonitas e inteligentes no Brasil, eu não me espelho especificamente em uma, mas me inspiro em todas aquelas que têm algo positivo a acrescentar.

TC: Sua família te apoia a ser uma Miss? 

Maria Cristina: Tenho uma linda torcida de várias amigas e familiares muito especiais! Agradeço a Deus e emociono-me por ter tanto apoio! O carinho diário do meu marido, com suas palavras de amor e incentivo, tem sido essenciais neste momento. 


TC: Qual impacto acredita ter um concurso como este no nosso estado? 
Maria Cristina: O impacto do concurso de Miss plus size MG no estado é positivo, pois divulga e valoriza a beleza da mulher plus size. Consequentemente, o comércio e indústria nesse ramo, crescerão cada vez mais, abrindo portas para um conceito de beleza que não se baseia nos padrões estabelecidos pela moda.


TC: Acha fácil encontrar roupas para manequins maiores?
Maria Cristina: Não é fácil encontrar roupas modernas de tamanho maiores. Quando acho, ou são muito formais ou são caras! Ainda há poucas lojas que tem looks modernos, com preço justo e bom caimento. 

TC: Qual o seu manequim? Já sofreu algum preconceito por se Plus Size?
Maria Cristina: Meu manequim é 48. Passei por constrangimento algumas vezes, quando a vendedora insistia em me mostrar uma roupa que eu tinha gostado e que não cabia em mim. Já aconteceu, também, de me perguntarem se eu estava grávida, eu respondia que não e a pessoa ficava mais sem graça do que eu. Para quebrar o gelo, respondia: não estou grávida, estou é gordinha mesmo! 

TC: O que acha de se tornar referência para outras meninas e mulheres através do concurso?
Maria Cristina: Acho incrível a idéia de me tornar referência para as pessoas. Representar as mulheres plus size, a nossa cultura, seria muita responsabilidade e uma honra para mim! O que eu faria com muito amor e dedicação! Independente do número do nosso manequim, precisamos gostar de nós mesmas, nos cuidarmos, fazermos ginástica, praticarmos algum esporte, nos alimentarmos melhor, fazermos exames médico periódicos, pois é dessa forma, que teremos saúde e qualidade de vida!

TC: Defina beleza.
Maria Cristina: A beleza é um dom que Deus nos concede: seja ela física, porém com o tempo ela acaba, ou a beleza espiritual; que é a beleza interior, pois ela revela a essência da pessoa, os seus valores, o que tem dentro da sua alma, e isso não acaba nunca! O ser humano fica mais belo, quando ama a Deus, a você mesmo e ao próximo. A beleza está nas pequenas coisas, como: no sorriso, na alegria de viver, na gratidão e nas boas palavras proferidas que edificam e confortam. Há pessoas que aparentemente não são bonitas, mas quando dizem algo, ficam maravilhosas!

TC: Que mensagem deixaria para as pessoas que sofrem com o preconceito?
Maria Cristina: Não existe pessoa perfeita, sempre receberemos críticas. Saiba discernir entre as críticas construtivas e destrutivas. Se você não está satisfeita consigo mesma, ore, faça esporte, alimente-se saudavelmente, procure boas amizades, leia bons livros, recomendo: a Bíblia Sagrada. Lembre-se: Deus te ama como você é!

TC: Diga por que, em sua opinião, você merece ganhar o concurso?
Maria Cristina: Eu mereço ganhar, porque tudo que faço é com intensidade, dedicação e amor!

Tamara Bhering - 27 anos | Viçosa
TC: Qual sua idade e em que cidade mora?
Tamara Bhering: Tenho 27 anos, moro na cidade de Viçosa que fica localizada na Zona da Mata Mineira.

TC: O que a fez querer se tornar uma Miss?
Tamara Bhering: O que me fez querer tornar uma Miss é a oportunidade de experimentar uma vida diferente. Mostrar para sociedade que há sim mulheres bonitas independentemente dos padrões de beleza atuais, poder fazer parte desse mundo glamoroso.

TC: Como você define o seu estilo na hora de se produzir?
Tamara Bhering: Básica, porém de maneira que eu possa ir a qualquer lugar sem ser pega de surpresa com uma roupa inapropriada... Gosto de maquiagem e acessórios, mas nada exagerado! Gosto de me produzir com bom senso, e à noite, em festa, dou uma produzida a mais.

TC: Qual seus objetivos pós-concurso?
Tamara Bhering: Com certeza será seguir com carreira de modelo, e como a minha prima Tininha Bhering, a Érica Dante me ajudaram, tentarei ajudar outras meninas assim como eu, plus size, a seguir sempre em frente com os nossos objetivos e sonhos.

TC: Qual a parte do corpo que você mais valoriza?
Tamara Bhering: Gosto de todo o meu corpo, gosto de ser do jeitinho que sou. Mas a minha marca registrada é o meu rosto e com isso meu sorriso J

TC: Para você, qual a importância em participar de um concurso como este?
Tamara Bhering: Terá uma importância inesquecível para mim! Irá englobar vários fatores, dentre eles o da minha auto estima, da minha auto confiança em saber que mesmo sendo uma plus size posso sim participar de eventos maravilhosos como este. Será mostrar para sociedade que para ter beleza nem sempre é preciso ter o estereótipo que as mídias ditam como regras a serem seguidas.

TC: Você tem alguma modelo que se espelha? Quem e por quê?
Tamara Bhering: Sim, Aline Zattar pela sua personalidade forte em ir atrás de seus sonhos e objetivos, pela sua simpatia e beleza.

TC: Sua família te apoia a ser uma Miss?
Tamara Bhering: Sim, estão todos muito empolgados com o concurso. Meus Pais então nem se fala, ver a carinha deles de felicidade é muito bom, estou adorando. Meus familiares estão me dando toda força.

TC: Qual impacto acredita ter um concurso como este no nosso estado?
Tamara Bhering: Com certeza seria um impacto grandioso do nosso estado, pois os concursos de Miss, os trabalhos como modelos vêm aumentando cada vez mais no Brasil com o intuito de quebrar os preconceitos que são gerados pela sociedade sobre todas nós.
Será que só porque somos gordinhas não podemos ser lindas, atraentes? Com este concurso lindo que está sendo preparado para todos, que vem trazendo que todas nós mulheres plus size podemos ser reconhecidas, valorizadas, assim como acontece com as mulheres magras só por terem um manequim idealizado pela sociedade. A mulher plus size está nas empresas, nas universidades, nas ruas, nas casas, em todas as esferas da sociedade, por isso deve estar representada também em trabalhos artísticos, que possam valorizar e ressaltar toda a sua beleza.

TC: Acha fácil encontrar roupas para manequins maiores?
Tamara Bhering: Nossa, tenho muita dificuldade de encontrar roupas tamanhos maiores. Aqui na minha cidade há poucas lojas que vendem tamanhos maiores, mas nem sempre tem do meu manequim e quando acho não é do meu gosto. Às vezes saio de alguma loja muito triste por não ter conseguido encontrar nada. Para este concurso mesmo, fui a todas as lojas que vendem tamanhos plus size e não encontrei nada, com isso em uma das lojas que fui à dona me passou um contato de uma loja na cidade de Visconde de Rio Branco e nessa tal loja não encontrei também. Mas no final deu tudo certo, graças a Deus e a minha amiga Denise de Miranda que me passou um contato de uma costureira em de Visconde de Rio Branco mesmo e mandei fazer os vestidos para o desfile com ela.

TC: Qual o seu manequim? Já sofreu algum preconceito por se Plus Size?
Tamara Bhering: Nossa meu manequim depende muito do tamanho, tem marcas plus size que querem fazer roupas que não é para uma plus size. Com isso vai depender muito da numeração, às vezes é 52, mas dependendo do material que foi confeccionado a roupa tem que ser 54.
Já sofri e ainda sofro alguns preconceitos por conta de ser plus size, fico chateada no momento, mas depois passa, pois não vou ficar me importando com isso. Há tantas outras coisas mais importantes para poder me preocupar.

TC: O que acha de se tornar referência para outras meninas e mulheres através do concurso?
Tamara Bhering: As mulheres plus size representam uma parte da população brasileira, composta por mulheres sensuais, guerreiras, que devem reconhecer seu potencial valorizado em peças publicitárias, em marcas de roupas ou em algum meio de comunicação. A divulgação deste trabalho ajudará a todas nós, mulheres, a melhorar a auto estima, perceber e reafirmar que não existe apenas um padrão de beleza.

TC: Defina beleza.
Tamara Bhering: É um conjunto de fatores externos que existe nos seres humanos. Independentemente de cor, raça, sexo, religião, se é magro ou gordo, alto ou baixo. E claro os internos, que define o caráter da pessoa, a sua personalidade. A beleza é o conjunto da Obra Prima que Deus criou.

TC: Que mensagem deixaria para as pessoas que sofrem com o preconceito?
Tamara Bhering: Os preconceitos já sabem que sempre irá existir a nossa volta, cabe a nós decidirmos se vamos ou não entrar em alguma discussão contra ele. Nós mulheres lindas plus size não temos que ficar preocupadas com esse preconceito que caem sobre nós, pois sabemos o valor que temos e com certeza temos que ir atrás desses concursos, de agências de modelos plus size para mostramos que também podemos ser uma gordinha linda J

TC: Diga por que, em sua opinião, você merece ganhar o concurso?
Tamara Bhering: Acredito que eu mereço ganhar o concurso da mesma maneira que todas as outras candidatas merecem cada uma tem uma beleza e suas especificidades, porém não vou negar que faria um bem enorme a minha auto estima, além de mostrar a todos, principalmente às pessoas da minha terra, que uma mulher diferente dos padrões ditados pela sociedade pode sim ser sexy, linda e fazer sucesso.


Vanessa Araújo – 25 anos | Contagem 

TC: Qual sua idade e em que cidade mora?
Vanessa Araújo: Tenho 25 anos, sou de Contagem.

TC: O que a fez querer se tornar uma Miss?
Vanessa Araújo: O que me fez querer ser Miss é a vontade de ser valorizada como sou e lutar por Minas Gerais sem estereótipos.

TC: Como você define o seu estilo na hora de se produzir?
Vanessa Araújo: Meu estilo é sempre moderno, gosto de modelos dinâmicos e ousados.

TC: Quais seus objetivos pós-concurso?
Vanessa Araújo: Meu objetivo pós o concurso é deslanchar na carreira de modelo Plus Size, criar uma marca e ser uma formadora de opinião sobre a questão do mundo estereotipado.

TC: Qual a parte do corpo que você mais valoriza?
Vanessa Araújo: Gosto do meu corpo todo, mas gosto bastante do meu rosto e cintura.

TC: Para você, qual a importância em participar de um concurso como este?
Vanessa Araújo: A importância de participar em um concurso como este é a experiência e a visibilidade que ganhamos.

TC: Você tem alguma modelo que se espelha? Quem e por quê?
Vanessa Araújo: Eu acho a Flúvia Lacerda fenomenal.

TC: Sua família te apoia a ser uma Miss?
Vanessa Araújo: Minha Família me apoia muito.

TC: Qual impacto acredita ter um concurso como este no nosso estado?
Vanessa Araújo: O Impacto é grandioso, pois ajuda à sociedade a desenvolver a questão do respeito e a valorização de todas as mulheres em geral. Creio que é de extrema importância essa valorização atual nos diversos tipos de trabalhos e demonstrações do plus size, pois quebra paradigmas e estereótipos impostos pela sociedade.

TC: Acha fácil encontrar roupas para manequins maiores?
Vanessa Araújo: Atualmente é bem mais fácil, porém ainda não encontramos de todos os modelos.

TC: Qual o seu manequim? Já sofreu algum preconceito por se Plus Size?
Vanessa Araújo: Meu manequim é 48. Já sofri muito com preconceito, principalmente porque já tive manequim 56.

TC: O que acha de se tornar referência para outras meninas e mulheres através do concurso?
Vanessa Araújo: Eu acho sensacional, pois sou totalmente a favor da valorização da Mulher como ela é representarei todas com muito afinco.

TC: Defina beleza.
Vanessa Araújo: Beleza pra mim é um conjunto: Simpatia, harmonia corporal e comportamental.        

TC: Que mensagem deixaria para as pessoas que sofrem com o preconceito?
Vanessa Araújo: A Minha mensagem será sempre a positividade. Acredite em você, se você está saudável e gosta do seu corpo gordinho, vá em frente e se valorize.

TC: Diga por que, em sua opinião, você merece ganhar o concurso?
Vanessa Araújo: Creio que mereço ganhar o concurso, pois tenho muita garra para enfrentar as adversidades. Sou guerreira e lutarei para ajudar na busca da igualdade e respeito para todos. Se eu vencer o concurso demonstrarei todos os dias que somos normais e lindas. Obtendo maior visibilidade e tentarei alcançar o maior número de pessoas para cultivar, com sabedoria, que nós Mulheres Plus Size, também podemos SER maravilhosas. O meu lema inicial é: Por Minas Gerais sem Estereótipos... Logo será: Por um Brasil sem estereótipos. 

O Trem Chique deseja muito sucesso e realizações a todas as candidatas ! Os blogs Vem Cá Menina e Eu Sou Poderosa também estão fazendo a cobertura do evento e entrevistando outras candidatas. É só clicar nos links acima! Beijos

Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradeço imensamente pelos comentários.
Posso demorar,mas respondo!!! Obrigada pelo carinho♥

Layout criado por : Paloma Martins . Trem Chique © Todos os direitos reservados. 2016
© Trem Chique
Maira Gall